Para algumas pessoas, é impossível viver sem a família, sem o carro, sem o celular ou mesmo sem planejar o futuro, por exemplo. Mas já pensou que, pra todo mundo, é impossível viver sem água? Podemos esquecer dela na hora de listar uma ou outra coisa que não podemos viver sem. Mas ela tá lá, sendo fundamental na alimentação, na saúde e no bem-estar. O que não percebemos — ou talvez ignoramos na maioria das vezes — é que trata-se de um recurso finito e até escasso em muitos locais. As crises hídricas de grandes cidades brasileiras nos alertam disso. Então, como evitar o desperdício de água? É, vamos mostrar que, com pequenas atitudes no dia a dia, pode-se ajudar muito. Esse mundo tem jeito. É o nosso planeta. O planeta água.

Os 10 milhões de brasileiros afetados pela seca

O Brasil é o país mais abundante em água do mundo. É também aquele que possui maior reserva de água doce, que é própria para o consumo. Por que, então, que cerca de 10 milhões de brasileiros convivem com a seca?

Principalmente porque a distribuição desta água é desigual (e assim acaba se tornando desumana). Temos regiões que carecem do acesso ao bem natural, enquanto outras regiões têm uma abundância um pouco maior.

Aí, alguém diz:

— Ah, mas o Brasil é um país de proporções continentais…

Continental, no entanto, é o tamanho do descaso com a vida humana.

Irrigar o coração

Em boa parte do Nordeste, esse recurso praticamente se esgotou.

A área chamada de Polígono das Secas abrange praticamente todos os estados da região (o Maranhão não está oficialmente no conjunto) e adentra Minas Gerais.

Historicamente, toda a região sofre com a seca, devido às repetidas crises de prolongamento das estiagens ocasionam graves danos à agropecuária e intensificam os problemas sociais.

Os habitantes precisam se deslocar por longos trechos para conseguir água, que muitas vezes está suja e contaminada. Assim, eles adquirem doenças com maior facilidade. Também não conseguem emprego.

Você aprenderá a como evitar o desperdício de água seguindo nossas dicas mais abaixo. Antes, porém, veja o quanto a falta de infraestrutura e de vontade política ainda afeta o acesso a água em regiões de seca do nosso país.

A esperança dos nordestinos está num novo Velho Chico

Investimentos e ações para diminuir o impacto da seca, como a construção de açudes, barragens, cisternas e sistemas de irrigação, poderiam ser tomados.

A tão polêmica transposição do Rio São Francisco, que objetiva retirar 1,4% da vazão da barragem de Sobradinho, é um projeto antigo, e sua obra foi definitivamente iniciada em 2007. O que duraria três anos, ao custo de R$ 6,6 bilhões, até hoje não foi concluído. Os custos estão em torno de R$ 10 bilhões até agora.

Envolvido em discussões ambientais, o redesenho do Velho Chico está sendo dividido em dois eixos. O eixo norte tem a previsão de atender 222 cidades e 7,5 milhões de pessoas. Já o eixo leste atenderá 4,5 milhões de pessoas em 168 municípios. Ao todo, são 477 quilômetros de extensão.

Sem discutir os méritos ou apontar os problemas, existe algo que é muito bizarro nesta história toda. Desde o período do Império, quando Dom Pedro II governava o Brasil, existem estudos e projetos que apresentavam justamente como solução para a seca da região o desvio de parte do São Francisco.

Passado todo esse tempo, os habitantes ainda dependem muito dos caminhões-pipa e das cestas de alimentos oriundos de outras regiões do país.

Sabendo de tudo isso, ter em nossas torneiras um fluxo razoável de água nos coloca em uma posição muito constrangedora caso não conservá-la.

Paremos pra pensar como evitar o desperdício de água…

As causas para se preocupar tanto em como evitar o desperdício de água

Até mesmo porque outras cidades brasileiras estão se preocupando com os níveis de água em seus reservatórios. São Paulo já passou por isso. Brasília, mais recentemente.

As mudanças climáticas, de abrangência global, têm gerado um impacto significativo no país. As alterações nos regimes de precipitação são sentidas mais claramente em lugares antes dotados de regularidade das chuvas.

É muito importante refletir numa melhor forma de gerir e adotar formas de economizar água.

Porém, não é possível apresentar apenas um motivo para explicar um grave fenômeno de estiagem prolongada.

O exemplo de Brasília demonstra isso.

A capital federal foi planejada para ser sustentável. No entanto, depois de sua construção, começou uma ocupação desordenada, com a ocupação de áreas com nascentes, córregos e que deveriam ser áreas livres para a infiltração da água de chuva e recomposição do lençol freático.

Isso, hoje, está causando um problemão para os moradores.

Por conta da densidade habitacional elevada, boa parte dos recursos hídricos têm um nível de exploração muito grande.

Tubulação envelhecida e desperdício de água agravado

Para falar ainda mais sobre como evitar o desperdício de água, voltemos a São Paulo.

Metade da rede subterrânea das regiões centrais da maior megalópole da América Latina, por mais estranho que isso possa parecer, tem mais de 30 anos de uso.

A Sabesp, que é a empresa responsável pelos serviços de saneamento básico em todo o Estado, calcula que mais de 30% da água produzida e tratada é desperdiçada por causa de vazamentos na tubulação.

Quando a análise se estende por todo o Brasil, o índice de perdas na distribuição aumenta para bem próximo dos 37%, com base numa análise feita em 2013 pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

O Instituto Trata Brasil afirma que o prejuízo anual com a água “jogada fora” seria equivalente a R$ 8 bilhões.

Em 2014, os índices de perda na distribuição em cada região brasileira ultrapassou os 30%:

Norte 46,5%
Nordeste 47%
Centro-oeste 34%
Sul 33%
Sudeste 33%

Pelos padrões internacionais, a perda não pode ser superior aos 25%.

Portanto, é preciso buscar como evitar o desperdício de água na sua região, e cobrar dos seus representantes a atenção devida ao assunto.

Desperdiçando na nossa própria casa

Fora toda essa perda que ocorre na distribuição de água, também temos o desperdício nas residências.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as pessoas utilizem por dia de 100 a 150 litros de água por dia. Ela diz que esse número está ideal.

Porém, há algumas regiões que as pessoas utilizam um número superior aos 200 litros de água por dia.

É aí que entra a consciência das pessoas em economizar água.

Um longo banho, a torneira aberta, a utilização de mangueira…

Tudo isso está contribuindo para o desperdício de água.

Então, como evitar o desperdício de água e fazer a nossa parte

O desperdício de água ocorre nas nossas distrações mais bobas, que juntas se transformam numa infinidade de excessos que farão muita diferença lá na frente.

Banho de ducha por 15 minutos com registro meio aberto 135 litros X 45 litros Banho de 5 minutos, com registro fechado ao ensaboar
5 minutos escovando os dentes com a torneira não muito aberta 12 litros X 500 ml Torneira fechada enquanto escova os dentes e um copo de água para enxaguar a boca
15 minutos lavando louça com a torneira meio aberta 117 litros X 20 litros Retirando os restos de alimentos e torneira fechada enquanto ensaboa

Um pouco mais da metade de água é gasta no banheiro (em banhos, descargas etc.)

Para se ter uma ideia de quanta água é jogada fora, simplesmente confrontemos os números de consumo.

Já dissemos que um brasileiro gasta por volta de 200 litros por dia. Sim… Mas, no máximo, dessa quantidade, 5 litros são para consumo, isto é, utilizado para beber e no preparo de alimentos.

Complicou, né?

É por isso que temos de prestar atenção nos nossos hábitos e atitudes.

Há como evitar o desperdício de água e, com isso, também poupar dinheiro.

Quer ver?

Cada gota conta

Você já viu acima que algumas atitudes que tomamos, ao invés de outras, são ideais para ter como evitar o desperdício de água.

Vejamos outras.

  • Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. Mais uma vez, ao se ensaboar, desligue o registro do chuveiro.
  • Não demore pra lavar o rosto pela manhã. A cada minuto, você gasta 2,5 litros de água. Pense nisso!
  • Não jogue papel higiênico no vaso sanitário. Isso exige maior demanda de água (além de causar entupimentos). Caso tenha um vaso antigo, existe no mercado vasos sanitários que gastam entre 3 e 6 litros de água por descarga. Opte por eles.
  • Se você tiver lavadora de louças, escolha usá-la apenas quando estiver cheia.
  • O mesmo vale para a máquina de lavar. Ah, e procure ligá-la 3 vezes por semana no máximo pra lavar roupas.
  • Use regador para molhar plantas e baldes para lavar carros. Evite utilizar a mangueira.

Com todas essas dicas de como evitar o desperdício de água, lembre-se da urgência de nos lembrarmos de qual é o nosso papel e o que temos feito para melhorar um pouquinho de cada vez o nosso próprio mundo.

As nossas atitudes definem quem somos, hoje e amanhã.

E o amanhã é aquilo que temos de preservar.

Categorias: Meio Ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Doação

Quando não tem mesmo jeito: Como fazer a Doação de Animais e Onde Doar Cachorro

Seja por causa de uma mudança de cidade, de residência ou por outro motivo qualquer, uma boa solução para quem não tem mais espaço para seu cachorrinho é optar pela doação. Mas onde doar cachorro? Como Leia mais…

Meio Ambiente

Alimentos frescos, sem agrotóxico e bem saudáveis: Saiba Como iniciar um Projeto de Horta Comunitária

Se perguntarmos, pra qualquer paulistano, qual o local de maior identificação dele com a sua cidade, bem provavelmente a resposta será a Av. Paulista. A alongada via é um espaço de quase três quilômetros de Leia mais…

Meio Ambiente

Como Descartar Lixo Eletrônico: Encontrando Soluções para aquela TV ou aparelho de som antigo com a doação de eletrônicos usados

Acho chato ir ao shopping. Pouca coisa me atrai nas lojas de roupas, calçados, perfumaria etc. Porém, tirando a comodidade de encontrar em apenas um lugar cinema e praça de alimentação, existe algo que especialmente Leia mais…